Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Boa Noite Cerejinhas!

Quando surgiu a idéia do Cereja n’ Pimenta, logo depois dos meus primeiros posts veio a idéia de convidar a querida esmaltólatra e cervejeira de plantão Danielle Dias para falar um pouquinho sobre as nails art e seus esmaltes. Demorou mais ela mandou muita informação BOA pra gente. Vem conhecer essa mulher e sua coleção VEM!!!

Danielle Dias, 23 anos (ai! x_x), solteira, formada em técnico em óptica e cursando técnologo em óptica e optometria. Além dos esmaltes, tenho gosto por boas cervejas, tatuagens e sapatos. (Mulherzinha como a gentee nééé )

>.<

A COLEÇÃO
A (humilde) coleção de esmaltes, começou há menos de dois anos, quando ter que trabalhar apenas com cores claras começou a incomodar e fui buscar ideias para não deixar as mãos tão sem graça durante a semana. Se antes os escuros dominavam a caixinha (que agora é gaveteiro), atualmente, pelo motivo citado há pouco, os clarinhos e coberturas são maioria.
Gaveta 1: onde guardo as tranqueiras para fazer as unhas e nail art
Gaveta 2: bases, top coat, importados e de efeitos (flakies, holográficos, duochrome, crackles, gliters, foscos, coberturas…)
Gaveta 3: os benditos rs!
OS QUERIDINHOS:
Por não ser desapegada, escolher favoritos é meio complicado, pois adoro todos o que tenho! rs! É dificil comparar, pois cada tem seu “charme”. rs! Então vou considerar favoritos aqueles que mais usei e que não tive vontade de tirar da unha, que são: Blair (holográfico da rivka, um salmão fofo demais!); Santo Luxo (verde escuro quase preto, da impala, gosto tanto que tenho três vidrinhos pra não correr o risco de acabar e não encontrar mais. hehehe); 679 (hits, azul pretóleo que é coisa de doido!); Congo (panvel, fosco que fica lindo com topcoat! Disseram que parece pintura de carro. rs!); Midnight Affair (revlon, azul metalico super escuro, lembra mesmo o céu a noite); Carbono (colorama, parece preto mas é um petróleo lindo, outro que fiz estoque); Hefesto (cobertura holográfica da hits, nem preciso dizer né?); Pipoca Doce (vermelho divo da risqué! Brilha muito, dispensa topcoat. Finesse define); Arábia (cinza discreto da risqué, ótimo pra trabalhar e combinar com várias coberturas); Boom Boom Pow (Deborah Lippmann, só isso basta pra ser favorito).
SONHOS DE CONSUMO:
Como as empresas brasileiras estão cada vez mais eficientes no quesito novidades, os sonhos de consumo se tornam mais as marcas do que seu conteúdo. Holográficos, flakies, crackles, que mudam de cor no sol, com a temperatura, glitters de diversas formas, magnéticos, eram meu desejo e hoje já tenho pelo menos um de cada para chamar de meu, sendo assim, meu gaveteiro só se sentirá completo quando tiver Dior, Chanel, Mac e quantos mais gringos top o bolso permitir! rs!
O BOM E O RUIM:
Agora aquele assunto que sempre gera polêmica, dizer o que é bom e o que não é. Cada um com sua experiência, as minhas, dizem que as melhores marcas nacionais atualmente, é a Hits conseque unir qualidade e novidades, não é a primeira a lançar mas é aquela que faz direito; a Risqué, que mesmo sem nada demais, a qualidade dos esmaltes não é de se discutir. No momento em que estamos é meio dificil chamar alguma marca de “B”, mas ainda nessa linha, gosto também da Fina Flor, Ludurana e La Pogee, essas valem a pena apostar sem medo de ser feliz!
Bom esmaltólatras de plantão, essas foram as palavras da Danielle Dias, adorei a opinião e dicas, além das fotos das nails art 🙂 Gostaram?? Beijos!