Tags

, , , , , , , , , ,

Olá apimentadas, hoje faço um passeio rápido no contexto histórico desta década, daí chegando em moda versus música.

Os anos 60, conhecido também como os “Anos Rebeldes”, foram marcados por acontecimentos históricos e movimentos sociais importantes. As experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis contra a ameaça de endurecimento dos governos.

Houve uma grande revolução comportamental como o surgimento do feminismo e os movimentos civis em favor dos negros e homossexuais.

O Rock n’ Roll ganhava  maior popularidade no mundo, os  Beatles iniciaram a British Invasion no rock, seguidos por The Rolling Stones, The Who, The Kinks e vários outros. No Brasil a Jovem Guarda fazia o maior sucesso! Logo, a música começa a influenciar fortemente a moda das ruas e ditar o que os fãs vão vestir. Por consequência, o estilo dos artistas também acaba por marcar a moda produzida pelos estilistas.

Os garotos se vestiam como os Beatles, os cabelos também eram como os deles.

 

O movimento de “libertação” da mulher deixou sua marca nas roupas, inspirando roupas insinuantes.

O francês Courrège suspendeu a barra das saias e a inglesa Mary Quant popularizou a minissaia, que não era tão mini assim!

 

 

 

 

Wanderléa, a Madonninha do Brasil (aliás, ela veio antes de Madonna né!) incorporou a minissaia nessas terras tupiniquins. E ditou moda durante muitas décadas.

 

 

 

Ao contrário do que muita gente pensa, a moda dos anos 60 não eram vestidos rodados de bolinhas! Essa era a moda da década de 50!

Os anos 60 foram marcados pelos vestidos trapézios, tailleur, minissaias, estampas geométricas e psicodélicas.

Por último deixo aqui, uns modelitos dessa década de explosão de juventude e liberdade.

Beijos,