Tags

, , , , , ,

 

Dione Négre

Jornalista

 

Imitar e diferenciar estão na essência da moda. Não há como escapar dessa premissa. Até mesmo a chamada moda de luxo está cada vez mais próxima do público. Aquele “ar” de exclusividade construído e cultivado durante séculos, hoje não escapa aos olhares da internet. A divulgação e a popularização proporcionam maior acesso ao que é luxo, ao que é exclusivo.

É fato que o consumidor das marcas de luxo quer se sentir especial, quer privilégios, quer ser o primeiro a saber, o primeiro a chegar…mas a era digital democratiza. As plataformas digitais e mídias sociais levam a informação (até mesmo a acessibilidade à compra) para qualquer canto do mundo, para qualquer tipo de público.

Foi-se o tempo em que bom-gosto e poder de compra estavam estreitamente ligados às classes mais abastadas. Hoje, com a informação e conhecimento em mãos, o público se informa, aprende, busca, compra.

 

Como diz a Revista Adweek (www.adweek.com), “quando uma vendedora do Lowa economiza todos seus centavos para comprar uma bolsa de marca e suas amigas seguem o exemplo, as produtoras de Hollywood começam a pensar duas vezes sobre produzir uma estrela do momento com este acessório; neste momento um pouco da imagem da marca se esvai…”.