Tags

, , , , , , , , , , ,

Estudos mostram que abraços, afagos ou simples apertos de mão têm o poder de amenizar dores e aumentar a confiança de quem os recebe.

Mais do que um simples gesto, o contato físico traz diversos benefícios para a saúde e desempenho das pessoas. Pesquisas realizadas por várias universidades americanas têm demonstrado que além de aliviar a dor, o toque dá uma sensação de segurança e confiança para aqueles que o recebem, contribuindo no tratamento de doenças.

Segundo a Associação Internacional para o Estudo da Dor, defini-se a sensação dolorosa como:

“a dor é uma experiência sensorial e emocional desagradável, associada a uma lesão tecidual real, potencial ou descrita nos termos dessa lesão. A dor é sempre subjetiva.”

Sabe–se que os receptores para a dor se encontram na pele, portanto, as abordagens físicas da redução da dor agem basicamente ao nível do corno posterior da medula. Desta forma, estímulos não dolorosos, tais como o toque, podem ser empregados para reduzir a mesma.

A dor é um dos sintomas que mais comprometem a produtividade, o bem estar, gera manifestações emocionais de depressão e alterações na qualidade do sono e na qualidade de vida das pessoas.

O órgão responsável pelo tato é a pele, nela se encontram terminações nervosas livres que são responsáveis pela sensação dolorosa, calor, frio, pressão. Os mecanismos responsáveis pelo tato estão na segunda camada da pele, a derme.

Principais receptores sensoriais da pele

1. Corpúsculo de Meissner – Tato (presentes nas regiões mais sensíveis da pele)

2. Corpúsculo de Pacini – Pressão forte

3. Corpúsculo de Krause – Frio

4. Corpúsculo de Ruffini – Calor

5. Terminações nervosas livres – Dor

Nos últimos anos, estudos têm evidenciado que a pele têm uma função imunológica, foi descoberto que a camada mais externa da pele, a epiderme, produz uma substância que é indistinguìvel imunologicamente da timopoetina, hormônio da glândula timo, que está ativa na diferenciação dos linfócitos T, responsáveis pela imunidade celular. Existem milhares de linfócitos T, individualmente diferentes, cada um capaz de reagir a um antígeno específico e destruí-lo. Muitos elementos celulares da derme participam do processo de defesa do sistema retículo endoplasmático. Os linfócitos e os macrófagos são os leucócitos que atuam nos processos infecciosos crônicos, como os da hanseníase.

As células de Langerhans exercem função macrocítica e antigênica, e participam do processo de defesa imunológica e celular. Outras células possuem histamina, que se encontra nos locais em que ocorrem sinais de reação inflamatória tissular. Conceitualmente, existem duas categorias de microbiota na pele: a residente e a transitória.

O toque ou outros estímulos agindo sobre o tegumento externo influenciam as funções da pele, que apesar de múltiplas e variadas, podem ser agrupadas em funções de proteção, informação e regulação profunda, sendo tais funções, diretamente subordinadas ao sistema nervoso central.

A sensação de bem-estar do toque favorece uma maior resistência contra as doenças, pois um corpo que não precisa lutar contra o estresse reserva mais energia para lidar com as infecções normais. O sentido do tato é ativado bem antes do nascimento, uma vez que os bebês estão em contato com fluidos e tecidos quentes desde o início da vida intra-uterina.

O efeito reflexo do toque promove melhora na circulação cutânea, facilita também a troca de fluidos e a nutrição entre os tecidos e remove os produtos da fadiga ou inflamação. Ocorre uma melhora na circulação sanguínea e no retorno venoso, além de um aumento no volume sangüíneo e uma queda na viscosidade sangüínea, na contagem de hematócrito e na viscosidade plasmática. Uma hipótese é a de que o toque afeta a reologia sanguínea pelo mecanismo da hemodiluição, que é definida como um aumento no volume de plasma sanguíneo. Esta hemodiluição pode ocorrer pela hiperemia reativa que se segue à massagem.

Outra teoria é a de que a melhora na circulação seria obtida pelo relaxamento muscular, que teria efeito de descongestionar microvasos, de modo que o fluido plasmático estagnado dentro desses vasos seria reintroduzido na circulação.

O toque também diminui os estados de hiperalgesia pela ação da colina, que é um estimulante do sistema parassimpático. Assim, uma ampla e direta excitação dos tegumentos libera acetilcolina ou histamina. No entanto, este fenômeno é mais complexo do que parece, pois a liberação de produtos hormonais por segmentos anatômicos da pele, provoca fenômenos histamínicos variáveis de acordo com cada indivíduo, com o estado de sua neurotonia e de seu equilíbrio neurovegetativo.

O toque produz estímulos sensório-motores, relaxamento tônico, vivências exteroceptivas e proprioceptivas e bem estar físico. O manuseio da pele estabelece um canal de comunicação corporal, tátil e cinestésico, que contribui para um ambiente saudável, Sendo assim, ha necessidade de sermos tocados diariamente para melhorarmos as defesas do organismo e aliviar as tenções.

Todo fisioterapeuta possui essa responsabilidade em suas mãos, mãos que levam carinho e segurança a quem precisa.

O texto acima foi escrito pela Grazi e pela Mel, elas estão aqui no blog para responder as dúvidas sobre saúde e estética. É só mandar sua dúvida para cerejanpimenta@gmail.com 😉

Está precisando marcar o tratamento? Ligue para (12) 3019-2557 e agende uma avaliação. (Se falar que leu no blog leva um tratamento surpresa grátis).